Coisas minhas, talvez você nem queira ouvir ♪: Junho 2011

terça-feira, 14 de junho de 2011

Me perdoe, irmã.

Há muito tempo não me sentia tão triste como estou hoje. Sabe aqueles momentos que aquela pessoa que sempre esteve ao seu lado, te escutando, te dando conselho, sorrindo, te mandando depoimentos dizendo que ama... uma pessoa que você passa horas ao telefone e não se cansa de conversar, alguém em quem você confia mais do que qualquer amiga sua, que você divide os problemas, sorrir, briga (besteira), mas brinca mais que tudo, que faz seu dia a dia ser melhor, e você faz tudo por ela, quando pode, é chamada de mãe, cuida, dá o que precisa, faz de tudo para agradar e de repente... você ver isso tudo se perder e recebe palavras ruins, xingamentos, chantagem, você não tem mais aquela pessoa em quem você confiava, por ela te conhecer tanto... ela sabe tudo que te magoa e não hesita em te falar e o pior é que ela não sabe que isso está te magoando tanto e todos os dias antes de dormir você chora, mas se consola na esperança do outro dia que amanhecer... estar tudo normal, tudo de volta, aquela alegria, as brincadeiras... mas não está e isso só vai te consumindo... a tristeza vai virando raiva... repugnância, vontade de estar cada vez mais longe.
IRMÃ, quero que saiba que mesmo se você nunca ler isso, talvez porque eu esteja escrevendo isso chorando muito e quando esse momento passar e a tristeza se transformar em raiva eu irei continuar sorrindo para as suas palavras e guardando a mágoa para chorar depois, mas quero  que saiba que eu te amo muito, amo a pessoa que você é, eu sei que você não é assim, amo a paixão que você tinha por mim, amava quando você cuidava de mim, se preocupava comigo mais do que minha própria mãe e seus depoimentos enormes que todas as minhas amigas ficavam com inveja do amor que você tinha por mim, de quando eu estava triste e você era a única que me consolava, quando você era minha amiga. Apesar de tudo você continua sendo minha irmã e eu te amo muito, só te peço desculpa se não posso fazer por você o tanto que você merece, por tentar cuidar de você e me preocupar... esse não é meu papel. Me perdoe.